16 de dez de 2014

Resenha: A marca de uma lágrima

Oi gente! Hoje eu trouxe para vocês a resenha de um dos meus livros preferidos. Eu vi ele pela primeira vez quando uma amiga minha estava lendo, e foi, tipo, amor a primeira vista!(eu adoro ler, e quase sempre, assim que vejo um livro, sei se vou gostar dele ou não.)

Isabel é uma adolescente de 14 anos super insegura, que se acha gorda e feia demais, mas que escreve poemas super lindos. Ela mora com a mãe, que vive sempre com enxaqueca, vive se preocupando com o que os vizinhos vão pensar e diz que para ela o pai de Isabel está morto. (porém, o pai de Isabel está vivinho e está sempre trocando de mulher, motivo pelo qual a mãe de Isabel diz que ele está morto).


Rosana é a melhor amiga de Isabel, e Isabel a acha muito mais bonita do que ela. Cristiano, seu primo, a convida para sua festa de aniversário, e Isabel se apaixona por ele, mas ele acaba se apaixonando por Rosana. Isabel encontra a diretora da escola em que estuda morta em seu escritório. A polícia acha que foi suicídio, mas aquela morte estava envolta em muitos mistérios e Isabel havia presenciado uma cena alguns dias antes que a havia deixado desconfiada agora.Ela decidiu esquecer isso, pois achava que ninguém daria atenção a uma garota como ela. Mas sua vida começa a entrar em perigo por saber demais e no final quem realmente a salva da morte é seu grande amor.

Com uma escrita sensível, real e gostosa de se ler, Pedro Bandeira descreveu com total realismo o que passa na cabeça de uma garota de 14 anos quando se apaixona.  É uma leitura para pré- adolescentes, mas que não deixa de apaixonar quem é fã de romances. A história de A marca de uma lágrima é a adaptação do romance “Cyrano de Bergerac”.


Bom, A marca de uma lágrima, é uma mistura de romance e suspense, daquele tipo que você se identifica  e não consegue parar de ler. Eu super recomendo, espero que gostem! Bjos!


Trecho do livro:
"A marca desta lágrima testemunha que o amei perdidamente
Em suas mãos depositei a minha vida, e me entreguei completamente.
Assinei com minhas lágrimas cada verso que lhe dei
Como se fossem confetes de um carnaval que não brinquei.
Mas a cabeça apaixonada delirou
Foi farsante, vigarista, mascarada
Foi amante, entregando-lhe outra amada

Foi covarde que, amando, nunca amou!"


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar, vamos ler, e responde-los! Obrigado...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Dois Jeitos de Ser - 2015. Todos os direitos reservados.
Criado por: Daiane Santos ¬ Vitória Alves.
Tecnologia do Blogger.