8 de jun de 2015

Campanha: Chega de fiu fiu!

   Oi gente! Hoje eu vim falar para vocês sobre uma campanha que eu super apoio, a Campanha Chega de fiu fiu! Já faz um tempinho que essa campanha existe, mas eu só conheci há alguns dias. Ela foi feita para combater qualquer tipo de assédio, tanto físico quanto verbal, contra as mulheres, e tenta mapear os lugares mais perigosos para as mulheres no Brasil.



   A campanha funciona assim: você pode relatar qualquer tipo de assédio se tiver sofrido, colocar o local em que aconteceu, mas vai ficar em anônimo. Eu li vários relatos e fiquei abismada com alguns. Para convencer mais ainda vocês, aí vão alguns dados e relatos:

Dados:

  • 48% dos assédios são verbais.
  • 68% dos assédios acontecem durante o dia.
  • 83% das mulheres NÃO acha cantadas legais.
  • A vítima mais jovem tinha apenas 7 anos!
Relatos:

  • Assédio verbal: Andando para ir ate a padaria, espero o sinal para pedestres ao lado de um vendedor de abacaxis. Ao atravessar a rua, ele começa a me seguir e a me dizer coisas chulas em relação a minha vestimenta e ao meu corpo. Me senti constrangida, mas não respondi...pois o dito-cujo estava com um faca na mão e eu fiquei com receio. Dei sorte de ter chegado rápido na padaria.
  • Assédio fisico: Eu estava voltando de uma festa de onibus, era umas 5:30 da manha e eu ainda estava um pouco embriagada e acabei cochilando de pé, apioada perto da porta do onibus. Entao, senti algo que parecia uma barba roçando na minha boca e acordei com um cara (que deveria ter entre 25 e 30 anos) tentando me beijar. Na hora nao acreditei que aquilo podia estar acontecendo e só consegui fingir que estava coçando o nariz para que ele nao tentasse me beijar de novo. Logo depois ele desceu do onibus e eu fiquei paralisada sem ter certeza do que tinha acontecido. Só tive a confirmaçao de que aquilo realmente tinha acontecido quando outro homem passou por mim para descer do onibus e me avisou para tomar cuidado.
  • Assédio fisico: Peguei um ônibus no Terminal Santo Amaro (Linha 546L-10: Jd. Luso/Terminal Santo Amaro) por volta das 7h em direção a minha casa. Como estava cansada por ter vindo de uma festa, não passei pela catraca, só sentei no primeiro banco que vi e fiquei quieta esperando o ônibus partir. Em seguida, um homem entra no mesmo ônibus em que estou, e mesmo com vários lugares vagos, ele faz questão de sentar ao meu lado e começou a me encarar. Ao notar essa tentativa de aproximação, coloquei meu fone de ouvido e comecei a olhar pela janela fingindo que não era comigo, porque sabia que eu começaria a chorar a qualquer momento se mostrasse que estava incomodada com aquilo. O ônibus partiu e ele continuou do meu lado, em certo ponto da viagem ele começou a tentar falar comigo, dizendo que seu nome era Douglas, perguntando qual era o meu nome, minha idade, se eu estava vindo de festa 'para estar arrumada daquele jeito', que eu era muito linda, se eu não queria 'passar um tempo com ele/dormir com ele hoje', etc. Continuei a fingir que não era comigo quando ele começa a passar a mão pelo meu braço, minha coxa, a acariciar meu cabelo, nessa hora eu o empurrei com tudo e levantei para passar na catraca, correndo para o fundo do ônibus e me escondendo. Pouco tempo depois, ele passa a catraca e vem direto pro meu lado, continuando a falar que eu era linda, que queria o meu número e que a gente deveria ir mesmo para algum lugar depois dali. Nisso, eu me irritei e mandei ele se tocar e resolvi descer do ônibus mesmo não sendo o meu ponto para ter um pouco de paz, mas nessa hora ele decidiu vir atrás de mim mais uma vez e me puxou com tudo pelo pulso para ir com ele sabe-se lá aonde e nessa hora eu já não conseguia mais segurar o choro. Comecei a gritar pedindo ajuda para o cobrador, que na mesma hora o segurou enquanto eu descia correndo do ônibus, atravessando a avenida sem olhar para os dois e pegando outro ônibus para casa chorando mas feliz por não ter acontecido nada a mais.
                                   
Se quiser ir ao site da campanha, é só clicar na imagem acima! Esse foi o post de hoje, espero que tenham gostado! 

3 comentários:

  1. Esses relatos são pra deixar todo mundo horrorizado,é incrível como ainda existe tanta gente idiota por aí que não respeita ninguém,as mulheres são vistas como o sexo frágil e são mais fáceis de sofrerem abusos,por isso todo cuidado é pouco.
    Já tinha visto o slogan da campanha,mas nunca entrei no site,vou procurar ver.
    Beijos ^.^

    ResponderExcluir
  2. Olá Vitória,
    Já tinha ouvido falar dessa campanha antes e super apoio!
    Cada vez que passo na rua e alguém se arma em esperto, fico com muita raiva.Não sou de romantismos e, mesmo se fosse, continuaria achando a atitude dessas pessoas uma falta de respeito.
    Vamos respeitar o espaço de cada um que dá tudo certo.

    Um beijo,
    Blog “A escrita e eu”

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar, vamos ler, e responde-los! Obrigado...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Dois Jeitos de Ser - 2015. Todos os direitos reservados.
Criado por: Daiane Santos ¬ Vitória Alves.
Tecnologia do Blogger.